segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Festival Breves Cenas de Teatro

A Cia de Teatro e Dança Pós- Contemporânea d'Improvizzo Gang está muito feliz, por participar da quarta edição do Festival Breves Cenas de Teatro, em Manaus, idealizado e produzido pela Cia. Cacos de Teatro, com o espetáculo Berceuse, em março de 2012. O festival conta com a participação de companhias teatrais de dez estados do país e acontecerá de 21 a 25 de março, no Teatro Amazonas.
Berceuse, em cartaz há sete anos, é baseada no texto Lullaby de Samuel Beckett, com versão de Paulo Michelotto. O grupo assina a criação e encenação, numa performance de Pollyanna Monteiro.


http://brevescenas.com.br



sábado, 17 de dezembro de 2011

Crítica sobre Ophélia/ Wellington Júnior

Uma fé inabalável na quintessência do pó

Hoje no dia de Ceça falarei sobre o espetáculo Ophélia da Cia. de Teatro e Dança Pós-contemporânea d´Improviso Gang que se apresentou na excelente programação da V Mostra Capiba de Teatro. E hoje decidi colocar os dez mandamentos para assistirmos e analisarmos o espetáculo dessa encantadora companhia.

1. SER HUMANO. Perguntaram-me uma vez se eu preferia o teatro ou um ser humano. Eu respondi que escolheria o humano, mas em sua melhor tradução – no teatro, nas artes. A obra de arte consegue ver o ser humano em suas diversas traduções. O trabalho de Paulo Michelotto e Pollyanna Monteiro compreende o humano e amplia os sentidos de transformação.
2. SER TEATRO. A dramaturgia fantástica do espetáculo é puramente e simplesmente teatro. Pois concentra seu desejo de ação no maior fenômeno – o encontro.
3. SER VIVO. A construção da atuação de Pollyanna é através da presentificação do jogo. Um sistema de ator engrenado a partir do grau zero da escrita cênica – apenas e belamente estar ali em jogo.
4. SER POESIA. A escrita espetacular é plena de imagens poéticas, de diálogos com o vazio como um hai-kai. A Cia. elabora uma encenação performativa que nos faz entrar na alma da teatralidade. Cada elemento é muito bem cuidado. A iluminação de Cleison Ramos é de uma sensibilidade perfeita.

5. SER ENCONTROS. O espectador é o elemento central desse trabalho, pois é ele que constrói as relações do hoje na encenação, informando sempre que estamos ali num grande ritual sobre nós mesmos.
6. SER EXPLOSÃO. O espetáculo explode o texto do Shakespeare e mostra o que esse fantástico autor sempre desejou escrever. Comparo essa dramaturgia michelottiana com a dramaturgia de João Denys em Encruzilhada Hamlet e percebo que as duas excelentes construções conseguem ampliar e aprofundar o diálogo entre as ações do texto shakespereano e a cena contemporânea – através de uma proposta performativa. Pois as duas são pura explosão - atentados poéticos.
7. SER PERIFÉRICO. O olhar da montagem é um pensamento sobre os seres periféricos e suas construções estéticas. Assumidamente estamos na vassalagem. E a forma é também periférica – pois não quer produzir uma verdade e sim tensionar desejos.
8. SER AMOR. É um trabalho apaixonante. "O louco, o amoroso e o poeta estão recheados de imaginação" (Shakespeare). A imagem em ação nos faz apaixonados nessa montagem. "Faço discretamente coisas loucas; sou a única testemunha da minha loucura. O que o amor descobre em mim, é a energia. Tudo que faço tem um sentido (posso então viver, sem me queixar), mas esse sentido é uma finalidade inatingível: é somente o sentido da minha força"(Roland Barthes).
9. SER MICHELOTTO. Não posso deixar de assumir aqui a profunda admiração que tenho pelo grande homem de teatro – Paulo Michelotto. Ele é um transformador, um inquieto, um ariano. E esse espetáculo é um casamento perfeito.
10. SER EU/SER PÓ. Esse texto sou eu. Um apaixonado pelo humano e pelo pó. Sou assim sempre querendo ver muitos teatros; e estar sempre feliz e surpreso com cada gesto no teatro. Pois a crítica é o pó. Nós somos o pó. Um beijo. Cada coisa que fazemos é plena de vazio e desejo. E aqui me despeço dizendo:
qui est là.
07 de dezembro de 2011
Por Wellington Júnior

Crítica sobre Ophélia/ Pollyanna Diniz

De: Pollyanna / Para: Ophélia

Querida Ophélia,

Foi tão bom encontrá-la na última semana na V Mostra Capiba de Teatro! O público ficou encantado com a atuação segura e ao mesmo tempo delicada de Pollyanna Monteiro. Trazer ao primeiro plano a sua história, dizer o que ela – e o que nós – pensamos e traçar uma relação tão íntima e sem atropelos com o texto de William Shakespeare é uma descoberta. De que existem maneiras de recontar os clássicos sem a sisudez dos "grandes" atores e diretores. De que dá para ser um "galo de campina" como Paulo Michelotto, diretor, conseguindo dar leveza, mas ao mesmo tempo sustentação, para um trabalho que agarra a plateia pela simplicidade e pouca pretensão.
É bem verdade que existem muitos pontos de fuga na sua dramaturgia – e isso nem é um defeito, já que os atores da Cia de Teatro e Dança Pós-Contemporânea d' Improvizzo Gang estão bem acostumados a lidar com o imponderável. A participação do público, embora eu ache que isso possa se tornar mais natural ainda à montagem, é um desses elos com o inesperado. Vai que o príncipe não aceita ser príncipe? Não teria o menor problema, tenho certeza. Você logo conseguiria outro. Eram muitas pessoas na plateia que podiam também ocupar os papéis de rei, rainha, coveiro.
De maneira muito informal, a dramaturgia nos alcança, vai nos tomando aos pouquinhos; é forte, profunda. A conversa que você trava com o coveiro e a capacidade de passear tão tranquilamente entre esses personagens, já que a participação do rapazinho de cabelos cacheados ficou restrita à ótima dublagem, são pontos fortes na sua história. Também há intrigas, relacionamentos perdidos, mas há bem mais o encontro com o que se é de verdade, com a realidade que nos cerca, com a dimensão que tomamos de nós mesmos.
A iluminação desenhada por Cleisson Ramos dá os contornos da sua trajetória. E como é lírica a forma como o espetáculo começa. Contando exatamente o seu fim, embora isso nem de longe signifique que a esperança para você acabou. O silêncio é temporário.
Dê um beijo por mim em Pollyanna Monteiro, mesmo nome, mesma terra e, quem sabe se tivermos mais um tempinho juntas, descobrimos até parentes em comum. Mande minhas saudações ao diretor Paulo Michelotto. É ótimo ver a sua irreverência e a maneira com que quebra as regras no palco e constrói as suas próprias, para depois tornar a quebrá-las.
Espero reencontrá-la em breve,

07 de dezembro de 2011
Por Pollyanna Diniz

Crítica sobre Ophélia/ Bruno Siqueira

A poesia e a graça de Ophélia

Fazia muito tempo que não me envolvia tanto com um espetáculo recifense como ocorreu em Ophélia, da Cia. de teatro e dança pós-contemporânea d’Improvizzo Gang, apresentado na V Mostra Capiba de Teatro nesta quarta-feira. Paulo Michelotto, que assina a dramaturgia, o design de cena, corpo, voz, maquiagem e a trilha musical, é, por acaso, meu colega de departamento no curso de Licenciatura em Teatro, da UFPE. Meu colega, meu próximo. Como não tinha antes parado para olhar com mais atenção seu trabalho artístico, Michelotto? Perdoe-me o delay.
Ophélia é um espetáculo que firma suas raízes na nossa contemporaneidade. A começar pela dramaturgia. O tão montado, citado e copiado Hamlet, do canônico William Shakespeare, serviu de inspiração ao dramaturgo, particularmente a personagem Ofélia.
A narrativa, em off, cita um trecho da fala da Rainha, quando relata a morte por afogamento da personagem Ofélia. O espectador adentra ainda mais na atmosfera poética da cena. É no final dessa narrativa que vai surgindo Ofélia, lânguida, vaporosa e belamente interpretada por Pollyanna Monteiro, a qual atravessa o espaço do público cantando uma canção num fio de voz, quase sofejante. O espaço do teatro Capiba se encontra tomado por uma fumaça perfumada. Sem bem o perceber, o espectador já está imerso na própria cena. 
O texto de Michelotto tem três páginas e os 60 minutos do espetáculo são compostos de muita improvisação a partir da matriz. Pollyanna Monteiro irradia beleza e jovialidade na sua personagem. Além disso, demonstra um domínio da cena e do público como poucos atores que tentam empreender esse gênero de teatro. O plateia fica nas suas mãos, de forma que assente em participar do espetáculo sempre que por ela é solicitada.
Michelotto se relaciona com o texto de Shakespeare pelo viés da paródia. Toda a performatividade da atriz se estabelece pelo diálogo entre a poesia shakespeareana e o discurso prosaico e crítico da contemporaneidade, o que nos permite ver com clareza como encenador e atriz leem o mito a partir do nosso olhar histórico.
O conceito da encenação se centra na juventude que emana da personagem-título. A juventude que é bela, que está perdida num caos político, que é frágil, que é ousada, que é fugaz... que é fugaz... que é fugaz...No entanto, a cena não mergulha na melancolia. Pelo contrário, celebra a juventude de forma poética e bem humorada. Bastante humorada.
Aliás, o mérito maior de Michelotto foi não se fechar na tragicidade do drama shakespeareano ou expressar uma suposta seriedade que a tradição imputa a Shakespeare. O dramaturgo/encenador soube dosar aspectos dramáticos com aspectos cômicos, este, sim, um procedimento muito mais próximo do teatro de Shakespeare. A sensação que ficou para mim é que o espetáculo Ophélia me aproximou muito mais do bardo inglês do que outros espetáculos que partiram de seus textos.
Teatro como arte, teatro como celebração, teatro como um compartilhar de experiência, teatro como poesia, teatro como espaço para discussões. Eis os qualificativos que identifico no trabalho da Cia. de teatro e dança pós-contemporânea d’Improvizzo Gang. Parabéns ao grupo!
07 de dezembro de 2011
Por Bruno Siqueira

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Ophélia na V Mostra Capiba de Teatro

Venha conhecer a versão de Ophélia para tudo o que aconteceu no Reino da Dinamarca.
A Cia. Teatro e Dança Pós- Contemporânea assina essa montagem, com texto de William Shakespeare, Paulo Michelotto e Pollyanna Monteiro, já há quatro anos em cartaz.
Ophélia, em única apresentação, na V Mostra Capiba de Teatro, no Sesc Casa Amarela, quarta- feira, 07 de dezembro, às 20h. Os ingressos estão por R$10,00 e R$5,00.
"Se o homem não sabe o que ele deixa ao partir, que diferença faz o instante que ele parte?"


terça-feira, 29 de novembro de 2011

Roda de improvisação

Nesta quarta- feira, 30 de novembro, faremos nossa Roda de Improviso, no Hall do CAC.
A partir das 18:00h.
Uma corda, um tema e pessoas livres: um universo pra se contar em poesia.
Todos são muito bem vindos!!!!!
Abraços!!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Ophélia na V Mostra Capiba de Teatro


"Existe a providência divina até mesmo na queda de um pardal.

Se não for agora, será depois, se não for depois será agora, e, se não for agora, então será depois. Estar pronto é tudo. Se o homem não sabe o que ele deixa ao partir, que diferença faz o momento em que ele parte."
Quando Ophélia leva esse pardal para o filósofo e músico Coveiro, inicia- se a nossa peça e o seu fim.
"O resto é silêncio."
Ophélia estará entre os espetáculos da V Mostra Capiba de Teatro, que ocorre todo ano no Teatro Capiba, no Sesc Casa Amarela, no próximo dia 07 de dezembro, às 20h.
Contamos com sua presença!!!

Ficha Técnica:
Texto: Paulo Michelotto, Pollyanna Monteiro & William Shakespeare
Elenco: Pollyanna Monteiro, Evandro de Mesquita Diles & o Público
Design de cena, corpo, voz e maquiagem: Paulo Michelotto & Pollyanna Monteiro
Design de moda: Ilza Marie, Paulo Michelotto e Pollyanna Monteiro
Design de luz: Cleison Ramos
Operação de luz: César Jeansen
Trilha musical:   Tema de Ophélia (Paulo Michelotto)
                         Fodder in her wings (Nina Simone, versão: Paulo Michelotto)
                         The fresh failure/ Let the sunshine in (Mac Dermont, Ragni & Rado)
Duração: 50'
Produção: Cia. de Teatro e Dança Pós- Contemporânea d'Improvizzo Gang
Realização: Sesc Casa Amarela/ Recife- PE

The Pulp Fiction Project/ 01 de dezembro


NICHO PORTAL DO IMAGINARIUM na última apresentação do ano do PULP FICTION PROJECT
TOTEM  EM  PERFORMANCE

A encenação performática Nicho-Portal do Imaginarium  do Grupo Totem é uma livre licença poética a partir da série de gravuras “Dos Seres Imaginários” de Airton Cardim, do “Livro dos Seres Imaginários de Jorge Luiz Borges e das mitologias pessoais dos performers. Como outros trabalhos, o Totem mistura teatro, dança performance, artes visuais – as gravuras são superdimensionadas em projeções que se confundem com a iluminação e uma polifonia de vozes, uma instalação sonora, construída a partir de textos de Jorge Luiz Borges e Antonin Artaud.  A polifonia de vozes cria uma atmosfera propícia para a execução da performance, que começa com caminhadas dançantes das performers. A concepção e encenação é de Fred Nascimento em sistema de cocriação com os performers.
No Nicho Portal do Imaginarium os elementos artísticos são colocados de maneira não hierárquica, as linguagens se encontram dentro de uma situação teatral performática amarrada pela encenação. Não há nenhuma fixação em concepções de ação ou conflito. Um trabalho que visa criar faíscas, pedaços desgarrados de compreensão, sensações. 
Ficha técnica: 
Ideia original e encenação: Fred Nascimento
Dramaturgia e roteiro: Totem
Preparação corporal: Lau Veríssimo
Imagens originais: Airton Cardin
Imagens (re)trabalhadas e projeções: Airton Cardim, Eduardo Sousa e Ronaldo Pereira.
Performers: Lau Veríssimo, Tatiana Pedrosa, Gabi Holanda, Juliana Nardin e Taína                     Veríssimo
Música: Pink Floyd
Vozes da instalação sonora: Fred Nascimento, Lau Veríssimo, Inaê Veríssimo, Tatiana Pedrosa e Taína Veríssimo
Textos utilizados na gravação: Antonin Artaud e Jorge Luiz Borges
Gravação da instalação sonora: Malunguim Estúdio
Designer das personas: Fred Nascimento e Lau Veríssimo
Apoio: Renato Paraná
Tempo aproximado de duração da performance: 30 minutos

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

The Pulp Fiction Project/ 24 de novembro


Em parceria com a Semana de Música, do Departamento de Música da UFPE, nesta quinta teremos duas atrações musicais:
Concerto dos alunos de cravo
Concerto Madrigal UFPE
Convide alguém e venha!!!
Teatro Milton Baccarelli/ CAC/ UFPE
Quinta- feira, às 18:30h
Entrada franca
Realização: DIG/ LAC/ PROEXT
Parceria: Departamento de Música da UFPE

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Roda de improvisação

Quarta é dia de DIG!!!!!!
Amanhã faremos roda de improvisação no Hall do Centro de Artes e Comunicação da UFPE, a partir das 18:00h. Teremos o maior prazer de recebê- los!!!

The Pulp Fiction Project/ 17 de novembro


Nesta quinta- feira, receberemos no Pulp Fiction o espetáculo DELICADO, com criação, adaptação e performance de Daniel Barros, inspirado livremente na obra de Nelson Rodrigues, numa realização do Coletivo Grão Comum.
Venha assistir a este belo espetáculo.

Teatro Milton Baccarelli/ CAC/ UFPE
!7 de novembro, quinta- feira, às 18:30h.
Entrada franca.
Realização: Coletivo Grão Comum/ DIG/ LAC/ PROEXT

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Roda de improviso

Hoje, extraordinariamente, não haverá nossa roda de improviso.
Retomaremos na próxima semana, normalmente.
Até lá!!!
Beijão!!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

The Pulp Fiction Project/ 03 de novembro



Berceuse

Assim como numa canção de ninar, o texto de Beckett nos embala até o porão da casa de uma mulher que cansada de viver só, vestiu seu mais belo vestido preto, fechou as venezianas, desceu as escadarias e assentou- se na sua cadeira de balanço, se balançou, balançou... até o dia enfim, fim de loga jornada...  
Este belo texto, com uma tradução impecável, faz de Berceuse um espetáculo oito anos em cataz. 
Locais de apresentações e temporadas: Sesc Piedade, Auditório Jorge Lobo, Hall da UNICAP, UPE- Nazaré da Mata, Centro de Convenções da UFPE, Teatro Arraial, Teatro Milton Baccarelli, Hall do CAC- UFPE, Galeria EOF- Paris, Faux Mouvement- Metz, Brooklin- New York. 
Texto: Samuel Beckett
Tradução e adaptação: Paulo Michelotto
Criação: coletiva

Performer: Pollyanna Monteiro 
Duração: 30'

Teatro Milton Baccarelli/ CAC/ UFPE
Quinta- feira, 03 de novembro
às 18:30h
Entrada franca
Realização: DIG/ LAC/ PROEXT

terça-feira, 25 de outubro de 2011

The Pulp Fiction Project/ 27 de outubro

Palavra Navalha
Palavra Navalha é uma adaptação ousada de Navalha na Carne, de Plínio Marcos. 
Só que em vez de um drama, se está diante de uma comédia. A ideia, apresentada pelo Teatro Navalha como produção para a disciplina de Encenação1 ministrada pelo professor Carlos Bartolomeu no curso de Artes Cênicas da UFPE, foi concebida pelo grupo a partir de discussões acerca do universo lascivo da prostituição e suas situações marginais.
Com Alisson Castro, Cássia Marta Félix, João Victor Alves, Nardônio Almeida e Weldjane Mary.
Numa produção: Teatro Navalha
Teatro Milton Baccarelli/ CAC/ UFPE
Quinta- feira, 27 de outubro
às 18:30h
Entrada Franca
Realização: DIG/ LAC/ PROEXT/ Teatro Navalha

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

The Pulp Fiction Project/ 20 de outubro

CEGONHAS E RODOVALHOS


"Servido cru"


Baseado no poema homônimo de Machado de Assis.
Adaptação por: Samuel Bennaton e Celso Queiroz.
Direção, concepção e atuação: Samuel Bennaton.
Teatro Milton Baccarelli/ CAC/ UFPE
Quinta- feira, 20 de outubro, às 18:30h
Entrada franca 
Realização:DIG/LAC/PROEXT

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Cia de teatro e dança pós- contemporânea d'Improvizzo gang(DIG) na Virada Cultural de Recife


Cidadela


"Não foram poucas as vezes em que vi a piedade enganar-se"



Do tribal ao contemporâneo, os homens escrevem sua identidade própria sobre seus corpos. O texto de Saint-Éxupéry nos solicita a fazer uma inscrição de negatividadea do corpo que se anula  em auto-piedade, dos corpos que buscam reconhecimento pela sua exposição negativa, pela miserabilidade, auto-comiseração, misericórdia e um sem número de outras pedras com  que construímos erradamente  as nossas defesas humanas, nossas cidadelas.

A estréia de Cidadela foi em 2005, em Metz, na França, pelo Faux Mouvement, na  programação de l´Année du Brésil en France.
Logo depois, nas Galléries EOF, em Paris, dentro do evento Açucar Invertido.
Aqui no Brasil, foi feita no Hall do Centro de Artes e Comunicação da UFPE, no Centro de Convenções da UFPE e no Teatro Milton Baccarelli  & no  The Pulp Fiction Project.
No próximo sábado, dia 15/ 10, estaremos na sala do piano do Teatro Hermilo Borba Filho, às 1:15 da madrugada, dentro da programação da Virada Cultural do Recife.

Ficha Técnica
Texto:                                                                          Antoine de Saint- Exupéry
Adaptação e Coreografia:                             Paulo Michelotto e Pollyanna Monteiro
Performer:                                                               Pollyanna Monteiro
Composição e execução musical:           Felipe Vianna, Paulo Michelotto,
Pollyanna Monteiro &  Público
Figurino e maquiagem:                             Pollyanna Monteiro
Cenografia:                                                 Paulo Michelotto
Iluminação:                                                             Cleison Ramos
Fotografia:                                                               ©Cláudyo Motta & © Fabiana Alexandre
TEMPO:                                                                        30’
Produção:                     Cia de Teatro e Dança Pós- Contemporânea d'Improvizzo Gang®

The Pulp Fiction Project e V Semana de Cênicas

Direto da Itália!!!!
Giullari Del Diavolo
Festival de Circo do Brasil na V Semana de Cênicas, dentro do The Pulp Fiction Project!
www.wix.com/byartaq/giullarideldiavolo
Teatro Milton Baccarelli/ CAC/ UFPE
Quinta- feira, 13/ 10, às 18:30h
Livre e gratuito.
Realização: DIG/ V SEMANA DE CÊNICAS/ LAC/ PROEXT

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

The Pulp Fiction Project/ 06 de outubro

Em parceria com a V Semana de Cênicas, teremos na programação desta quinta, uma leitura dramatizada do texto: Vereda da Salvação, de Jorge Andrade.
Venha conferir!!
Teatro Milton Baccarelli/ CAC/ UFPE
06/10, às 19h
Entrada Franca

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

V Semana de Cênicas

Começará nesta próxima segunda- feira, a quinta Semana de Cênicas da UFPE, coordenada por Cleison Ramos e uma grande equipe.
A homenageada deste ano será Carminha, a querida secretária do Departamento de Teatro.
Parabéns Carminha!!!
Oficinas, palestras, apresentações de dança, teatro, circo e muito mais, marcarão mais uma edição da Semana.
A d'Improvizzo Gang participará com o Surf Seco na sexta- feira, das 12 às 14h.
E ainda na sexta, no encerramento com show: The Improvizzo Song com Ailton Brito e Pedro Cardoso.
Confira a programação pelo facebook do evento http://www.facebook.com/profile.php?id=100002096232307
Mais informações pelo:
semanadecenicas@gmail.com
Esperamos vocês lá!!

Seminário Internacional de Crítica Teatral: Leitura Crítica - Ophélia

Seminário Internacional de Crítica Teatral: Leitura Crítica - Ophélia: Márcio Bastos Não tem jeito: o maior termômetro para o sucesso de um espetáculo é o público. Na arte teatral, o artista tem o retorno imedi...

Seminário Internacional de Crítica Teatral: Leitura Crítica - Ophélia

Seminário Internacional de Crítica Teatral: Leitura Crítica - Ophélia: OFERTANDO OPHELIA Jorge Bandeira Era uma vez... Um reino feito de sangue que jorrava ora alegrias, ora tristeza. Um reinado de sutilezas ...

Seminário Internacional de Crítica Teatral: Leitura Crítica - Ophélia

Seminário Internacional de Crítica Teatral: Leitura Crítica - Ophélia: CONFISSÕES DE ADOLESCENTE Vinícius Vieira No terceiro dia da maratona cênica proposta pelo Seminário Internacional de Crítica Teatral uma ...

Seminário Internacional de Crítica Teatral: Leitura Crítica - Ophélia

Seminário Internacional de Crítica Teatral: Leitura Crítica - Ophélia: OPHÉLIA Márcio Braz Uma das personagens mais queridas da dramaturgia universal ganha vida de forma inusitada na montagem da Companhia de T...

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Aviso importante!!!!!!!!!!!!!!!!!


Informamos, constrangidos, que por desorganização administrativa do Centro de Artes e Comunicação, nesta quinta- feira não haverá o The Pulp Fiction Project .
Os responsáveis pela pauta dos espaços do Centro marcaram para o mesmo lugar, três eventos, no mesmo horário.
Em respeito ao nosso público e aos artistas, achamos mais sensato o cancelamento do evento.
Esperamos que entendam.
Obrigada.
Equipe do The Pulp Fiction project

terça-feira, 27 de setembro de 2011

The Pulp Fiction Project




Queremos convidá- los para participar de uma noite com muita música e muita dança.
Tudo improvisado!!!
Como diz nosso amigo Sérgio Gogoy, que nem caldo de cana, tudo feito na hora.
Bailarinos, atores, músicos, performers e todos que queiram entrar na roda, serão todos bem vindos.
Vai ser lindo!!!
A idéia é ser uma roda aberta e contínua de música e dança!
Abraços, desde já.
Nesta quinta, 29/ 09, às 18:30h, no Hall do CAC/ UFPE.
Gratuito.
The Pulp Fiction Project
Realização: DIG/ LAC/ PROEXT
Coordenação geral: Paulo Michelotto.

domingo, 11 de setembro de 2011

The Pulp Fiction Project

Estamos começando nossa quarta temporada com o grande espetáculo de teatro, ODEMAR.
Trabalho da Cia Máscaras de Teatro, com texto de Fernado Pessoa, atuação e encenação de Sebastião Simão Filho.
Para comemorar nossaa estréia, faremos duas apresentações!!!
Imperdível!!!!
Onde? Jardim do CAC, UFPE.
Quando? Quinta e sexta, 15 e 16 de setembro.Que horas? Às 18:30h.
Quanto? De graça!!!!!
Realização: DIG/ LAC/ PROEXT/Cia Máscaras de Teatro






quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Rodas de Improvisação Semanais

Nossos encontros abertos foram mudados para as sextas- feiras!!!
Traga uma roupa de trabalho e muita vontade de deixá- la molhada.
Entre na Shiminawa conosco!
Sextas- feiras, 19:00h
Hall do CAC/ UFPE

sábado, 20 de agosto de 2011

Ophélia


Ophélia é uma peça sobre a beleza e fragilidade da juventude.
Shakespeare escreveu duas belas peças sobre jovens: Romeu e Julieta & Hamlet.
Jovens no meio do caos político.
A Inglaterra não era exatamente um caos, mas certamente não era nada fácil ser jovem nos tempos de Elizabeth. Em Elsinore também não.
Shakespeare nunca disse que Ophélia era uma doidinha.
"Her clothes spread wide... Till that her garments, heavy with their drink, pull'd the poor wretch from her melodious lay to muddy death."
Fez dela apenas uma jovenzinha, futura Rainha e certamente votada ao extermínio pelo novo rei.
A juventude é sempre esse estado de coragem para enfrentar sua fragilidade.
Ophélia é o lado mais belo da vida.
Hamlet não teve essa sorte, é ferido, torna-se mau, torna-se adulto cedo.
Preferimos Ophélia para conversarmos com jovens, sobre jovens.
E política.
"Existe a providência divina até mesmo na queda de um pardal.
Se não for agora, será depois, se não for depois será agora, e, se não for agora, então será depois. Estar pronto é tudo. Se o homem não sabe o que ele deixa ao partir, que diferença faz o momento em que ele parte."
Quando Ophélia leva esse pardal para o filósofo e músico Coveiro, inicia- se a nossa peça e o seu fim.
"O resto é silêncio."

Ficha Técnica:
Texto: Paulo Michelotto, Pollyanna Monteiro & William Shakespeare
Elenco: Pollyanna Monteiro, Evandro de Mesquita Diles & o Público
Design de cena, corpo, voz e maquiagem: Paulo Michelotto & Pollyanna Monteiro
Design de moda: Ilza Marie, Paulo Michelotto e Pollyanna Monteiro
Design de luz: Cleison Ramos
Trilha musical: Tema de Ophélia(Paulo Michelotto)
                         Fodder in her wings(Nina Simone, versão: Paulo Michelotto)
                         The fresh failure/ Let the sunshine in(Mac Dermont, Ragni & Rado)
Duração: 50'
Produção: Cia. de Teatro e Dança Pós- Contemporânea d'Improvizzo Gang
Seminário Internacional de Crítica Teatral
Local: Casa Mecane
Data: 29/ 08
Hora: 20h
Entrada gratuita

segunda-feira, 27 de junho de 2011

The Pulp Fiction Project/ 29 de junho

Encerramento desta temporada!!!
Imperdível!
Programação:
1. Insetos Interiores
Adaptação e execução: Luiz Gutemberg
2. Alquimia: Um breve diálogo no universo popular pernambucano
Texto: Criação coletiva
Grupo de Teatro Alquimia
Direção Geral: Lucélia Albuquerque
3. Deus
Texto: Renato Viana
Adaptação e execução: Gil Oliveira
4. Temporada de caça
Criação e execução: Ailton Brito





Teatro Milton Baccarelli, CAC, UFPE
29 de junho, quarta- feira, às 18:30h
Entrada Franca
Realização: DIG/ LAC/ PROEXT

sábado, 18 de junho de 2011

The Pulp Fiction Project/ 22 de junho

Nesta quarta, teremos uma programação com dois Becketts. Dois grupos fazendo um mesmo texto. Dois olhares, duas versões diferentes. Samuel Beckett no melhor estilo!
E pela primeira vez no Pulp Fiction, dança do ventre!!!
É só vir!!!
Programação:
1. Katastrophé
Texto: Samuel Beckett/ Tradução: Paulo Michelotto
Criação e execução:Júnior Foster, Tatiana Callado e Willams Costa.
2. Dança do Ventre no Estilo Tribal Fusion
Com Anysha, Alexandra e Lais Ide
3. KatastrophéTexto: Samuel Beckett/ Tradução: Paulo Michelotto
Criação e execução: Coletivo Zero/ Sidmar Gianette, Lorena Arouche, Antônio Carlos e Camila Nascimento
4. Escorpião Amarelo
Bailarinas: Nataly Araújo e Priscila Araújo
Teatro Milton Baccarelli/ CAC/ UFPE
Quarta- feira, 22 de junho, às 18:30h
Entrada Franca
Realização: DIG/ LAC/ PROEXT
www. dimprovizzogang.blogspot.com




terça-feira, 14 de junho de 2011

The Pulp Fiction Project/ CANCELAMENTO

O Pulp Fiction, desta quarta- feira, será cancelado, devido à greve de ônibus que durará 24h, já confirmada pela mídia. Queremos dizer que os artistas não serão prejudicados e  que farão suas apresentações num outro dia, ainda a ser confirmado. Pedimos a compreensão do público e que esteja lá na próxima quarta- feira! Bem, a greve é um direito do trabalhador então nós artistas devemos apoiá- los. Até quarta!!! Obrigada. Abraços a todos.

domingo, 12 de junho de 2011

Na Semana de Artes/ Pintando Pontes

Abraços aos organizadores e participantes da Semana de Artes "Pintando Pontes", que aconteceu nesta semana no Centro de Artes da UFPE.
Obrigada Sílvio, Rosaly e Coelho por tudo.
Aí estão algumas fotos da nosa participação.





sexta-feira, 10 de junho de 2011

Roda de improvisação desta quinta

Foi tudo tão bom!!!!
Semana que vem tem mais.
Beijos a todos que lá estiveram.
Tema: aprenda a beijar comigo

Tema: pôr- do- sol

Tema: tô quase chegando lá

Tema: Tô quase chegando lá

Gadú e Emerson

                                                             


sábado, 4 de junho de 2011

The Pulp Fiction Project/ 08 de junho

Nesta quarta, teremos o incrível palhaço Cavaco no palco do Pulp Fiction Project!
Espetáculo:  Circo de Pulga Maria
Texto e encenação: Anderson Machado.
Imperdível!!!!
Teatro Milton Baccarelli/ CAC/ UFPE
Quarta- feira, 08 de junho, às 18:30h
Entrada Franca
Realização: DIG/ LAC/ PROEXT


quinta-feira, 2 de junho de 2011

Hoje é dia de DIG!!!


Hoje tem roda de improvisação.
Basta ir e entrar na roda.
Hall do CAC/ UFPE, a partir das 17:30h.
A Shiminawa estará à sua espera!!!!
Até mais!!!

terça-feira, 31 de maio de 2011

The Pulp Fiction Project/ 01 de junho


Esta semana, teremos na nossa programação diversos conjuntos de música, sob a direção musical de Sérgio Godoy, professor do Departamento de Música da UFPE.
Teatro Milton Baccarelli/ CAC/ UFPE
Quarta- feira, 01 de junho, às 18:30h
Entrada Franca
Realização: DIG/ LAC/ PROEXT

sábado, 28 de maio de 2011

Roda de improvisação, quinta, 26 de maio


vai começar!!!
 polly e anaíra                                                  

paulo e coelho                                  
álcio, anaíra e filipe  
álcio, evandro e luiz
pegando tema com a galera

querido público
                                  Até próxima quinta!!!!

terça-feira, 24 de maio de 2011

The Pulp Fiction Project/ 25 de maio

Berceuse
Espetáculo de dança- teatro sobre o fim de uma longa jornada de uma mulher solitária à procura de alguém. Até encontrar sua cadeira de balanço, seu berço de morte.


Texto: S. Beckett
Tradução: P. Michelotto
Coreografia: P. Michelotto e Pollyanna Monteiro
Performance: Pollyanna Monteiro
Iluminação: Cleison Ramos
Cenografia: P. Michelotto e Evandro Mesquita
Produção: Cia. de Teatro e Dança Pós- contemporânea d'Improvizzo Gang
Teatro Milton Baccarelli/ CAC/ UFPE
Quarta- feira, 25 de maio, às 18:30h
Entrada Franca
Realização: DIG/ LAC/ PROEXT

sábado, 21 de maio de 2011

Obrigada!!!

Queremos agradecer a todos que participaram conosco de Cidadela nesta quarta- feira.
Foi uma noite mágica!
Obrigada pela presença, pela música, pelo carinho.
Na próxima quarta, teremos mais uma sessão!!!
Abraços de todo grupo.

sábado, 14 de maio de 2011

Roda de improvisação do DIG desta quinta!!!!

Para quem esteve lá relembrar e para quem não esteve...
E não foi por quê?
Agora, só na próxima quinta!!!



sexta-feira, 13 de maio de 2011

The Pulp Fiction Project/ 18 de maio

 O Pulp Fiction, o palco fixo mais giratório do Recife traz:  
Cidadela  
"Não foram poucas as vezes em que vi a piedade enganar- se" 
Espetáculo de dança- teatro com seis anos de duração. Esteve em Recife, Metz e Paris. 
Texto: Antoine de Saint- Exupéry
Adaptação e Coreografia: Paulo Michelotto e Pollyanna Monteiro
Cenografia: Paulo Michelotto
Música: Paulo Michelotto e o Público
Performer: Pollyanna Monteiro
Iluminação: Cleison Ramos
Produção: Cia de Teatro e Dança Pós- Contemporânea d'Improvizzo Gang 
Teatro Milton Baccarelli/ CAC/ UFPE 
Quarta, 18 de maio. 18:30h 
Entrada franca 
Realização: DIG/ LAC/ PROEXT

quinta-feira, 5 de maio de 2011

The Pulp Fiction Project/ 11 de maio

TXAIMUS
Regência: Flávio Medeiros
Quarta- feira, 11 de maio, às 18:30h
Teatro Milton Baccarelli/ CAC/ UFPE
Entrada Franca
Realização: DIG/ LAC/ PROEXT

"Por uma iniciativa do Professor e Maestro Flávio Medeiros, a história do TXAIMUS, começa com a utilização deste instrumental na disciplina de Prática de Conjunto, do curso de Licenciatura em Música da Universidade Federal de Pernambuco, é dele também a ideia de introduzir rítmos brasileiros no repertório, o qual passou a contar com arranjos inéditos de autoria dos próprios participantes do grupo.Nessa performance exclusiva, o grupo se caracterizou, e hoje, ao atuar já desvinculado desta disciplina, leva em sua bagagem a tradição brasileira ao execultar clássicos da Bossa nova como Garota de Ipanema, Samba de verão e o Barquinho, além da sonoridade da música nordestina como Maracatu, Frevo, Xote e Baião, onde as tradicionais variações rítmicas sincopadas, carregam o típico sabor da música brasileira."
blog oficial do Txaimus 

sexta-feira, 29 de abril de 2011

The Pulp Fiction Project/ 04 de maio

Nesta quarta, teremos um maravilhoso show de música com:
Heloíse Carvalho
Convidados: Jana Figarella, Romero Brito e Uriba Alves
04 de maio de 2011
às 18:30h, Teatro Milton Baccarelli/ CAC/ UFPE
Entrada Franca
Realização: DIG/ LAC/ PROEXT

The Pulp Fiction Project/ 27 de abril

Três lindas atrações!!!
* O Discurso da Ponta da Língua
Grupo: Quadro de Cena
Texto: Eduardo Rios e Samuel Santos
Direção: Samuel Santos
Em cena: Eduardo Rios
* Aula de Inglês
Palhaço Cavaco
Anderson Machado

* Grupo de Teatro MAGILUTH
Cenas improvisadas
Em cena: Erivaldo Oliveira, Giordano Castro, Pedro Vilela, Pedro Wagner e Thaysa Zooby
Realização: DIG/ LAC/ PROEXT

Tradução